terça-feira, 25 de agosto de 2009

Hoje decidi cuidar de mim
Dane-se o Senado, que morram todos os de-puta-dos
Vou fazer de conta que não existe nenhum Grande Irmão
Tô cagando pro sistema e rindo de quem o alimenta
Tô cagando também pra opinião pública e privada
(que morram todos afogados na minha privada)
Vou dar descarga até acabar toda a água do mundo
E se por capricho alguém se sentir ofendido, eu tô cagando também

Hoje eu não quero nada além de cuidar de mim
da minha paz e do meu superego
Hoje eu não quero correria
Vou dar vazão ao meu ócio
Hoje eu só quero saber de mim e dos meus dois pedaços
Vou botar meu fino no bolso, meu amor no colo
Sentar na sombra com algumas cervejas
E ficar estourando plástico bolha até a noite cair
(vou comprar um quilômetro dele)

5 comentários:

Adriana Godoy disse...

Uau! Adoro quando seu sangue rebelde vem à tona. Também quero isso."
Vou botar meu fino no bolso, meu amor no colo
Sentar na sombra com algumas cervejas", quer coisa melhor? Muito bom mesmo. Beijo.

Nátalin Guvea disse...

Sentar na sombra com algumas cervejas, ver o amor andar por entre a grama, um violão e alguma composição...
Quando a lua já estiver apontando no céu, podemos subir, e lá (na paz que é nossa)dormir.

Eu te amo.

Anita Mendes disse...

"just a perfect day"....
beijos pra ti, paes.

retalhos disse...

Também to cagando HAHAHAHA

Cunhado, me arruma um fino?
UIAHUIOAHAUIOHAIUOHA

Daniel Donson disse...

Nossa, neste dia vc estava cansado de ser, hein? ser as vezes cansa, ne? quisera nós ter permanecido na emanescência do eterno nada. nha!